Saúde

Umuarama e região reduzem a taxa de mortalidade infantil

Investimentos e estratégias contribuíram para baixar índice

Confirmando a evolução registrada nos últimos anos, a taxa de mortalidade infantil da região de Umuarama atingiu o menor índice dentre todas as regionais da Secretaria de Estado da Saúde em 2023. Neste ano não houve registro de óbito na Capital do Noroeste.

Partindo de mais de 15 óbitos por mil nascimentos entre 2018 e 2019, o índice entrou em queda a partir de 2020, recuou para um dígito em 2021 e neste ano está em 6.3.

Isso deve-se aos resultados de Umuarama, que não registrou nenhuma morte de recém-nascido neste ano, até o momento. O avanço é resultado de muito trabalho das equipes da Secretaria de Saúde e investimentos da administração municipal.

O secretário municipal de saúde, Herison Cleik da Silva Lima, lembra que Umuarama sempre teve um alto índice de mortalidade infantil. “Um dos maiores indicadores de saúde pública é a mortalidade infantil, que em nossa cidade já chegou a 22%. Quando assumimos a Secretaria de Saúde, na gestão Hermes Pimentel, adotamos algumas medidas e reforçamos o acompanhamento. Os resultados logo surgiram. Hoje temos o menor índice da história”, afirmou.

A partir daquele ano, a Secretaria de Saúde começou a fiscalizar mais de perto o serviço prestado e a cobrar a execução plena do contratualizado. “Mudamos fluxos, capacitamos nossa equipe de profissionais de saúde e pela primeira reduzimos a mortalidade a um dígito (9.9 por mil nascimentos”, recordou o secretário.

Em 2022 os avanços prosseguiram e o número baixou para 9.24. “Nesse ano de 2023 ainda não tivemos nenhum óbito e hoje somos uma referência em combate à mortalidade infantil em todo o Paraná. Saímos do roda-pé do ranking para assumirmos posição de destaque”, emendou Herison Lima.

O prefeito Hermes Pimentel lembra que a Prefeitura de Umuarama investe R$ 288.750 mensais em serviços prestados pela Maternidade Regional do Hospital Norospar e R$ 158 mil  no Centro de Referência em Atendimento Materno e Infantil (CRMI), enquanto a Secretaria de Estado da Saúde aplica mais R$ 150 mil no Centro Mãe Paranaense. Tudo isso, em serviços e ações de acompanhamento às gestantes e puérperas, bem como aos recém-nascidos.

Prefeito Hermes Pimentel e o secretário Herison Lima comemoraram o resultado.

“Assumimos um compromisso de ampliar os investimentos em saúde e trabalhar pela melhoria de todos os indicadores. As equipes têm se empenhado bastante sob o comando do secretário Herison Lima, temos proporcionado capacitações constantes e canalizando mais recursos, e o resultado está aí. Muitas vidas foram preservadas e a taxa de mortalidade infantil segue em queda”, disse Pimentel.

Além de reconhecer o trabalho dos profissionais da saúde pública, o prefeito e o secretário também fizeram um agradecimento para todos os profissionais do Norospar e do Hospital Cemil, “que junto com as ações municipais são nossa referência no acompanhamento das gestantes, por isso têm parte importante nesta conquista”, relatou o secretário Herison Lima.

Ranking

Embora Umuarama não havia registrado nenhuma morte no ano, conforme dados da Secretaria de Estado da Saúde. Com números das demais cidades, a 12ª Regional de Saúde obteve a menor taxa de mortalidade no Estado (6.3/1000 nascimentos). Em seguida aparecem as regionais de Paranaguá e União da Vitória (6.7), Jacarezinho (7.5) e Cascavel (7.6).

Nas outras regionais do Noroeste do Estado, Campo Mourão tem índice de 8.9, Maringá tem 11.6, Cianorte 19.6 e Paranavaí 19.7. A média estadual em 2023 está em 11.1.

  • Assessoria 

 

Leave a Response

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Jornal Milênio

Jornal Milênio

Portal Milênio
Jornal Terceiro Milênio. Inconfundível. Desde 1997 comunicando e transmitindo informações. Umuarama - Paraná - Brasil.