Umuarama

Após missão no Amazonas, missionários retornam felizes à Umuarama

Veja relatos de alguns membros da comitiva em terra amazônica

Os 46 missionários da Diocese de Umuarama que saíram para a Missão Igreja-Irmã no dia 1º de julho rumo à Diocese de Humaitá (AM), já estão de volta. Eles chegaram na última quarta-feira (19) e foram recebidos pelo Bispo Dom João Mamede Filho, na Igreja Catedral.

Essa é uma das principais atividades em comemoração aos 50 anos da Diocese de Umuarama, a ser consolidado em 2023. O grupo missionário permaneceu 16 dias na Amazônia brasileira em momentos de evangelização, oração e visitas nas comunidades ribeirinhas da cidade de Manicoré.

Recepção e bênção pelo Bispo, na Igreja Catedral.

O objetivo da missão foi realizar uma atividade de presença de evangelizadores da Diocese de Umuarama, com suas experiências pastorais, à Diocese irmã de Humaitá. Há uma mútua colaboração de fé e um trabalho social entre as diferentes regiões. Com esse trabalho, as duas realidades ganham em conhecimento e experiência de serviço ao Reino de Deus. É muito importante que uma Diocese que celebra o seu Jubileu de Ouro tenha uma parte dessa festividade voltada para uma missão além de suas fronteiras, disse o Bispo Dom João Mamede Filho.

Dom João Mamede Filho ganhou um presente especial vindo do Amazonas.

Momentos de graça

A Irmã Dirce Gomes, coordenadora da missão, avaliou todo o trabalho realizado e disse que foram momentos de muita graça, de intensa missão e de doação dos missionários, tanto de Umuarama quanto locais. “Eu diria que foi um sopro do Espírito Santo que nos acompanhou em cada trabalho. Foi um momento de gratidão a Deus e de louvor pela presença e entrega dos missionários. Voltamos com o corpo marcado fisicamente por mutucas e os bichos de lá, mas, com a alma cheia de alegria”.

Celebração campal em Humaitá.

Pobreza

Rafael Bernardo Guerreiro, missionário da Paróquia São Sebastião de Altônia, explica que o local era simples, havia o predomínio do cultivo da mandioca e o cuidado com a terra.

“Já em outras comunidades, as casas ficam distantes umas das outras (até 5 quilômetros), há muita vegetação nativa entre elas, como: o açaí, a castanha, entre outras sementes, cujas culturas são preponderantes. São locais ricos em natureza, amor e carinho, mas, muito pobres, social e financeiramente. O acesso à informação também é precário. Porém, mesmo com essas dificuldades, há o sorriso no rosto das pessoas. Eu estou muito feliz em ter participado dessa missão. Ver como o amor de Deus se manifestar nos povos da Amazônia foi incrível”, relatou.

Cenário em na região amazônica.

Vivência muito forte

O Irmão Thiago, dom estado do Piauí, veio com o grupo de missionário para a Diocese de Umuarama e deve ficar uns dias por aqui. Para ele, a missão foi um período de vivência muito intensa como sempre é na Amazônia.

“A Igreja lá é diferenciada, uma Igreja onde fazemos a experiência de uma vida de fé, de amor, onde vemos a nossa pequenez e a grandeza do povo de Deus, que se manifesta na vida daquelas pessoas. Foi uma vivência muito forte, na qual só temos que agradecer e aprender, para levar no nosso dia a dia como realmente é ser cristão, ser igreja e como Deus quer que nós vivamos a nossa vida: indo ao encontro de tantos irmãos que necessitam. Gratidão à Diocese de Umuarama e a todos que fizeram parte desse projeto”, finaliza o missionário.

  • Assessoria de Comunicação
  • Fotos: Divulgação

Deixe uma Resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Jornal Milênio
Jornal Terceiro Milênio. Inconfundível. Desde 1997 comunicando e transmitindo informações. Umuarama - Paraná - Brasil.