Saúde

Aplicação de ‘fumacê’ segue critérios do Ministério da Saúde

Ação de controle do mosquito transmissor da dengue

O Serviço de Vigilância em Saúde Ambiental informa que o município concluiu o primeiro dos cinco ciclos de aplicação de inseticida contra o mosquito transmissor da dengue em veículos equipados com pulverizador de Ultra Baixo Volume (UBV) – o chamado ‘fumacê’. A estratégia, lançada com apoio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), segue o manual de procedimentos determinado pelo Ministério da Saúde.

Na última semana, quando a Sesa confirmou duas mortes por complicações da dengue que estavam em investigação há meses, Umuarama atingiu 1.070 casos confirmados da doença – no acumulado do ano epidemiológico, iniciado em agosto/2021. Havia ainda 219 suspeitas em investigação e 928 negativos, dentre as 2.260 notificações registradas. A doença está presente em toda a cidade e as regiões de 16 unidades enfrentam surto.

Depois de uma avaliação geral do quadro e também de pedidos da população, foi solicitada a liberação do ‘fumacê’ para combater o mosquito na fase adulta e com a autorização do Estado, a aplicação iniciou no último dia 14. “Fechamos o primeiro ciclo e nesta semana iniciamos o segundo. A previsão é que até o final do mês os cinco ciclos estejam completos e consigamos reduzir a população do mosquito transmissor”, disse a coordenadora da Vigilância Ambiental, Renata Luzia Ferreira.

Critérios

Os veículos com ‘fumacê’ percorrem os bairros com maior infestação do mosquito Aedes aegypti. O UBV é uma estratégia no controle considerada por especialistas como último recurso no controle do mosquito. “A forma mais efetiva é eliminar recipientes e proteger locais que possam acumular água parada, dificultando a reprodução do mosquito. Mas é necessário o empenho da comunidade e infelizmente muitos deixam a desejar, no cuidado dos quintais”, acrescenta Renata.

A aplicação do ‘fumacê’ segue critérios rígidos, determinados pelo Ministério da Saúde. “Somente profissionais qualificados podem operar o UBV e a aplicação não pode ser feita com o sol alto, por isso os horários são das 6h às 8h da manhã e das 16h às 20h, no período da tarde e noite. É necessário clima ameno, sem sol e com ventos fracos”, explica o coordenador da Divisão de Vigilância em Saúde, Franzimar de Morais. Sem essas condições a aplicação deve ser suspensa.

A velocidade dos veículos também é controlada (5km/h) durante a pulverização. “Quando as caminhonetes circulam mais rápido é porque estão em deslocamento, sem a aplicação do inseticida, mesmo que as bombas estejam acionadas. A pulverização é feita em baixa velocidade”, informa o coordenador. Ele pede, ainda, que a população dos bairros onde é feito o ‘fumacê’ deixe portas e janelas abertas nos horários da dedetização, e explica que em pontos onde não for possível o acesso dos veículos com o UBV o trabalho será feito com bombas costais.

Bairros

Conforme o roteiro, os bairros selecionadas para aplicação serão percorridos pelo menos três vezes no período de duas semanas – incluindo domingos e feriados. “As equipes trabalharão sem folga, até finalizarem o serviço, a não ser que ocorram chuvas ou condições desfavoráveis. A população deve ficar atenta porque em alguns trechos os veículos precisarão trafegar pela contramão de direção”, alertou a coordenadora Renata Ferreira. Os veículos são bem sinalizados e os órgãos de fiscalização do trânsito já foram informados.

  • Assessoria

Deixe uma Resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Jornal Milênio
Jornal Terceiro Milênio. Inconfundível. Desde 1997 comunicando e transmitindo informações. Umuarama - Paraná - Brasil.