Cultura

Aberta a programação alusiva aos 67 anos de Umuarama

São 30 dias de eventos e outras atividades comemorativas

A programação de atividades alusivas aos 67 anos de fundação do município de Umuarama foi aberta nesta quarta-feira (1º), com uma exposição fotográfica histórica da cidade no Centro Cultural Vera Schubert. A mostra é composta por seis instalações, com fotos, documentos e objetos.

Destaque ainda para o Encontro de Pioneiros, roda de viola e mostra especial do artista plástico Abraão Hachicho, em exposições que ficam abertas até o dia 1° de julho.

A roda de conversa com os pioneiros será mediada por Rodrigo Fernandes Pereira, chefe da Divisão de Eventos da Fundação Cultural de Umuarama. Ele destaca que começar as comemorações do aniversário da cidade com o Encontro de Pioneiros é algo bastante significativo, “É uma forma de valorizar nossas raízes, promovendo a união de quem ajudou a construir a história com quem administra nossa cidade”, pontua.

Uma das instalações é composta por fichas de valor histórico. “São documentos que foram datilografadas nos anos iniciais de funcionamento da Fundação Cultural. Nelas constam informações como o nome do pioneiro, cônjuge, filhos, profissão e a motivação que o trouxe para desbravar nossa terra”, detalha.

A exposição continua com fotos que registram os Xetá e o processo de desenvolvimento de Umuarama. “Temos registrados vários momentos: a acessibilidade por estradas e pelo Aeroporto Orlando de Carvalho, a avenida Paraná na década de 50, comércios e serviços públicos, a primeira igreja etc., além de documentos que trazem a inauguração do nosso Centro Cultural Schubert”, informa.

O tempo retratado

Natural de Viçosa, no estado de Alagoas, Abraão de Souza Hachicho nasceu em 1943 e descobriu o dom da pintura aos 13 anos de idade. Viveu no Brasil até os cinco anos e depois mudou-se para Beirute, no Líbano. De lá, veio para Nova Esperança (PR) e em 1968 teve Umuarama como destino, cidade onde vive até hoje. “Hachicho ganhou notoriedade por retratar em suas telas o início do processo de colonização do município. Nesta instalação apresentamos 45 fotos das obras desse importante pintor, que tão de forma precisa representou em óleo sobre tela o nascimento e o despertar de uma cidade”, comenta Rodrigo Fernandes Pereira, curador das mostras.

Paralelamente à exposição de Hachicho, o Centro de Documentação Histórica (CEDHU) da Fundação Cultural de Umuarama também organizou a mostra Culinária & Gastronomia, em trabalho realizado por Ederson Gimenes, chefe de cozinha e professor do curso de Gastronomia da Unipar (Universidade Paranaense). “Ao longo da história, o alimento traz informações de como as culturas e economias foram moldadas. Gimenes é mobilizador de um projeto que arrecada e cataloga utensílios afins para a instituição do Museu Gastronômico de Umuarama. E nesta instalação ele apresenta algumas dessas peças”, adianta Pereira.

Mais histórias

Ainda dentro dos eventos que contam a história da cidade, os visitantes terão 30 dias para apreciar a exposição ‘Nossas Praças no Início da Década de 1980’ e a mostra ‘Cartões Postais Contemporâneos’. Também, o ‘Programa Sesc Futuro Integral’, trabalho realizado por alunos do Sesc sobre a cidade em desenvolvimento, registrada em fotos, imagens e pinturas diversas.

  • Assessoria

Deixe uma Resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Jornal Milênio
Jornal Terceiro Milênio. Inconfundível. Desde 1997 comunicando e transmitindo informações. Umuarama - Paraná - Brasil.