Policial

Polícia Federal investiga corrupção em contratos de obras públicas

Suspeita de fraudes em processos licitatórios de obras públicas

A Polícia Federal deflagrou na manhã de terça-feira, 26 de outubro, a Operação Jaborandi, que investiga crimes de corrupção envolvendo prefeitos, servidores públicos e empreiteiros de diversos municípios do Estado do Paraná.
Cerca de 120 policiais federais cumprem 28 mandados judiciais em 6 municípios do Paraná (Umuarama, Boa Vista da Aparecida, Perobal, Três Barras, Santa Helena e Guaíra) e 1 do Estado do Pará (Uruará). Foi a continuidade à investigação que começou há cerca de um ano após denúncias de que empreiteiros estariam se reunindo em conluio com chefes dos poderes executivos locais para fraudar o caráter competitivo de procedimentos licitatórios envolvendo o setor de obras de municípios da região.
Ao longo das investigações, foi possível descortinar ao menos duas organizações criminosas, estruturalmente ordenadas e com atuações bem definidas, as quais, sob a anuência e coordenação dos prefeitos de Boa Vista da Aparecida Leonir Antunes dos Santos e Umuarama Celso Luiz Pozzobom (atualmente afastado), se reuniam para direcionar licitações a empresários integrantes do grupo, superfaturar seus valores e posteriormente pulverizá-los entre os agentes públicos e empresários que participavam do esquema.

 

Busca e apreensão em endereços residenciais.

Os investigados, na medida de suas participações, poderão responder pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, fraude ao caráter competitivo de procedimento licitatório, organização criminosa e lavagem de dinheiro, cujas penas, somadas, podem chegar a 62 anos de reclusão.
O nome da operação faz referência à estrada Jaborandi, localizada no município de Umuarama, sendo uma das primeiras obras que originaram a investigação.

Estrada Jaborandi

Início da pavimentação da Estrada Jaborandi, 6 km.

Em Umuarama, agentes da PF cumpriram mandados de busca a e apreensão de documentos na casa do prefeito afastado Celso Pozzobom, no prédio administrativo da Prefeitura e mais um endereço residencial.

O projeto de pavimentação da estrada rural Jaborandi foi viabilizado em 2019, com a adesão dos moradores, que assumiram parte dos custos. O investimento total foi estimado em R$ 3,8 milhões, com R$ 2,9 milhões rateados entre o município e os donos de áreas rurais ao longo da estrada e o restante assegurado por emenda parlamentar.

A referida emenda parlamentar era de autoria do ex-deputado federal Alfredo Kaefer, que destinava R$ 900 mil – recursos da União – para execução do projeto. O advogado e ex-Secretario de Gestação Integrada da Prefeitura, Luiz Genésio Picoloto, informou esta semana que esse dinheiro não foi utilizado na obra. “Foram investidos recursos próprios do municípios”, assegurou. A pavimentação foi executada pele empreiteira Sotram, sediada em Perobal. A empresa também foi alvo da operação da Polícia Federal.

  • Editoria Milênio – Comunicação Social/PF/Guaíra.

Deixe uma Resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Jornal Milênio
Jornal Terceiro Milênio. Inconfundível. Desde 1997 comunicando e transmitindo informações. Umuarama - Paraná - Brasil.