Paraná

Copel trabalha para restabelecer abastecimento de energia

Ventos de até 100 km/h derrubaram 9 torres de cabos de transmissão

O temporal severo que atingiu o Paraná desde o início na madrugada desta quinta-feira (14) provocou grandes estragos na rede elétrica e na distribuição de água nas regiões Oeste, Sudoeste e Noroeste.

Segundo a Copel, em todo o Noroeste, 170 mil unidades consumidoras chegaram a ter o fornecimento de energia interrompido durante a passagem do evento climático. No Oeste e Sudoeste, foram 160 mil domicílios desligados devido aos ventos fortes e à queda de galhos e até árvores inteiras sobre a rede elétrica.

Equipes de emergência, manutenção e obras estão em campo desde a madrugada, atuando na reconstrução das redes. Reforços de outras regiões do Estado estão em deslocamento para auxiliar na recomposição do fornecimento, trabalho que deve se estender para os próximos dias.

No momento, além do fornecimento de energia aos pontos de captação da Sanepar, o atendimento prioritário é dedicado às redes que atendem hospitais e unidades de saúde, além da recomposição das fontes de alimentação aos municípios que tiveram o fornecimento quase totalmente interrompido.

Região Noroeste

Na região Noroeste, 15 cidades se enquadram nesta situação: Cafezal do Sul, Cruzeiro do Oeste, Farol, Francisco Alves, Mariluz, Mato Rico, Mirador, Moreira Sales, Nova Olímpia, Porto Rico, Querência do Norte, Rancho Alegre do Oeste, Santo Antônio do Caiuá, São Pedro do Paraná e Tapira.

Já no Oeste e Sudoeste, os esforços se direcionam para Formosa do Oeste, Tupassi, São José das Palmeiras, Diamante do Oeste, Entre Rios do Oeste, Diamante do Sul, Boa Vista da Aparecida, Terra Roxa, Vera Cruz do Oeste, Pérola do Oeste, Cruzeiro do Iguaçu, Guaíra, Bela Vista da Caroba, Jesuítas, Ibema, Guaraniaçu, Ramilândia, São Pedro do Iguaçu e Planalto.

Nove torres da linha de alta tensão que liga Assis Chateaubriand a Umuarama foram ao chão. As torres que foram derrubadas ficam entre Jesuítas e Carajás, no Médio Oeste, e sua reconstrução será importante para a recomposição do sistema de alta tensão, garantindo a flexibilidade de operação do sistema.  Porém, as três subestações atendidas pela linha têm abastecimento alternativo, e por isso a queda das torres não está causando diretamente falta de luz aos consumidores.

Contatos

A falta de luz pode ser comunicada pelo site e aplicativo, pelo telefone 0800 51 00 116 e pelo WhatsApp 41 3013-8973. Há ainda a opção de enviar uma mensagem de texto (SMS) para o número 28593, com as letras “SL” e o número da unidade consumidora.

  • Assessoria de Comunicação

Deixe uma Resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Jornal Milênio
Jornal Terceiro Milênio. Inconfundível. Desde 1997 comunicando e transmitindo informações. Umuarama - Paraná - Brasil.