Policial

Gaeco prende 14 policiais rodoviários que atuavam na região de Umuarama

Todo efetivo do Posto de Cruzeiro do Oeste foi preso na operação

A Polícia Militar, por meio da sua Corregedoria-Geral e do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), juntamente com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), cumpriram na quarta-feira (14), 15 mandados de prisão preventiva, 54 de busca e apreensão e 27 medidas cautelares de suspensão do exercício da função em 18 cidades do Noroeste e Oeste do Paraná.

A operação ‘Força e Honra’ foi deflagrada com base em investigações feitas pela Corregedoria da PM, em conjunto com o núcleo de Umuarama do Grupo Especializado na Proteção do Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria) e com o núcleo do Gaeco em Cascavel, sobre crimes envolvendo militares estaduais do BPRv. Um contrabandista que estava sendo extorquido denunciou o esquema, e somente do Posto de Cruzeiro do Oeste 8 policiais foram presos.

Prisões preventivas de militares  

Fardamentos de policiais presos e afastados foram recolhidos.

Na operação, 14 policiais militares e um empresário foram presos, e apreendidos 20 veículos, R$ 130 mil em dinheiro, 8 tabletes de maconha, cocaína e haxixe. O Nome do empresário é Sidney Ronaldo Ribeiro, que é vereador em Campo Mourão. Ele é acusado de revender, em sua loja, aparelhos eletrônicos desviados. (Os nomes de 13 policiais estão abaixo)

Segundo o Comandante-Geral da PM, coronel Hudson Leôncio Teixeira, alguns militares estaduais foram abordados no momento em que assumiam ou saíam de serviço, e com alguns deles havia dinheiro em espécie. “Esse grupo era focado no favorecimento ao contrabando e ao descaminho no Oeste e Noroeste. Sabemos que grande parte do nosso lado efetivo é composto por excelentes policiais, mas essa operação visa valorizar os bons profissionais e proporcionar à população um melhor atendimento”, disse.

Ele destacou que haverá responsabilização dos militares estaduais que foram presos. “Todo o material apreendido será periciado, os policiais militares presos serão encaminhados a um quartel da Polícia Militar, onde serão submetidos ao procedimento administrativo para apuração dos fatos, com direito à ampla defesa e ao contraditório”, disse.

Propina

Dinheiro apreendido em casas de policiais.

De acordo com o Ministério Público, há informações de que os policiais receberam propina para liberar a passagem de veículos com materiais contrabandeados e drogas. São apuradas denúncias sobre a prática dos crimes de concussão, corrupção passiva, peculato, prevaricação, falsidade ideológica, lavagem de ativos e eventual receptação. Ainda segundo as apurações, havia apropriação de mercadorias contrabandeados na falta do pagamento da propina, as quais seriam revendidas em comércios de eletrônicos e outros segmentos.

Segundo a promotora Juliana Stofella Costa, durante o curso das investigações foi constatado que os militares estaduais tinham movimentação financeira que não condizia com o salário que recebiam. “Contabilizamos uma renda de aproximadamente R$ 6 milhões movimentados pelos suspeitos”, disse. Também foram identificadas compras de imóveis. Contas bancárias de suspeitos foram bloqueadas.

Mandados

Armas, munições e drogas.

Foram apreendidos cerca de R$ 130 mil em dinheiro, cerca de R$ 100 mil em pneus contrabandeados, cinco tabletes de maconha, dois tabletes de pasta base de cocaína, um tablete de haxixe. Também foram apreendidos uma espingarda de calibre .12, uma carabina de calibre .22, cerca de 100 munições de calibre .40.

Também foram apreendidos documentos que comprometem os investigados, além de coletes balísticos, armas de fogo, munições, equipamentos eletrônicos, celulares e veículos.

As equipes policiais cumpriram mandados de busca e apreensão em residências de 36 policiais, em 4 unidades do BPRv (Maringá, Iporã, Cruzeiro do Oeste e Cianorte), em 6 residências de empresários e 8 empresas. As ações ocorreram em Maringá, Cruzeiro do Oeste, Umuarama, Goioerê, Campo Mourão, Paranavaí, Maria Helena, Doutor Camargo, Mandaguari, Tamboara, Nova Esperança, Uniflor, Jussara, Mandaguaçu, Marialva, Guaíra, Cianorte e Iporã.

Esquema na PR-323

Houve apreensão de 20 veículos.

De acordo com o Subcomandante-Geral da PM, Coronel Rui Noé Barroso Torres, o esquema facilitava a passagem de produtos oriundos do Paraguai naquela região. “Entre as ações desenvolvidas pela Polícia Militar, esta operação visa fazer uma assepsia no sistema. Temos o objetivo de tirar da nossa tropa policiais que apresentam esse desvio. A PM não compactua com esse tipo de conduta e sempre buscará pelo trabalho honesto e dentro da legalidade”, enfatizou o coronel.

O promotor do Gepatria de Umuarama, Diogo de Araújo Lima, agradeceu o apoio da Polícia Militar em toda a operação. “Tivemos desde o início dos trabalhos o apoio da PM, demonstrando total transparência e que a corporação não compactua com qualquer uma das irregularidades constatadas. Sem essa integração não teríamos alcançado esse resultado”, destacou.

Comandante da 4ª Cia de Maringá

Capitão Rodrigo comandava a 4ª Cia de Maringá.

O capitão Rodrigo Santos Pereira foi preso na operação da Corregedoria e Gaeco. Ele era o comandante da 4ª Companhia de Polícia Rodoviária Estadual, sediada em Maringá. No ano passado ele foi homenageado pela Câmara Municipal de Cianorte com ‘Moção de Aplausos’ pela apreensão de 11,5 quilos de maconha que estavam em um ônibus que fazia a linha Umuarama-Campina, no dia 10 de abril. Capitão Rodrigo estava no cargo desde novembro de 2019.

Segundo a promotora de Justiça Juliana Stofella Costa, ele é suspeito de receber propinas em cotas mensais do grupo, presentes, bebidas, além de escalar policiais preferidos do esquema de corrupção.

Comandante do Posto de Cruzeiro do Oeste

Subtenente Elizeu Melo comandava o Posto de Cruzeiro do Oeste.

O Subtenente Elizeu Correia de Melo era o comandante do Posto da Polícia Rodoviária de Cruzeiro do Oeste. Segundo as investigações, ele e uma equipe inteira do posto estão envolvidos no esquema de corrupção. Em 31 de maio, em rede social, ele postou que estava na empresa de Umuarama, onde fiscais da Receita Federal apreenderam pneus contrabandeados avaliados em R$ 100 mil.

Em março de 2017, Subtenente Melo também foi homenageado pela Câmara Municipal de Cruzeiro do Oeste com o título de ‘Moção de Aplausos’.   

 Foi candidato em Umuarama

Soldado Roberto Ceranto (Posto de Cruzeiro do Oeste).

Entres os policiais presos na Operação ‘Força e Honra’ está o soldado Roberto Ceranto Filho, 33 anos. Na eleição municipal de 2020 ele foi candidato a vereador pelo PSD e obteve 524 votos – não sendo eleito. Em declaração de bens informada à Justiça Eleitoral relatou patrimônio de R$ 73.787,60, resumindo em saldo bancário e dois automóveis.

Nomes de policiais presos

Rodrigo dos Santos Pereira (Capitão Comandante da 4ª Cia. Maringá)

Elizeu Correia de Melo (Subtenente Comandante do Posto de Cruzeiro do Oeste)

Roberto Ceranto Filho (soldado)

Sérgio Luiz Grigoletto (cabo)

Rogério Silva Quichaba (sargento)

Everton de Oliveira Souza (soldado)

Charles Adriano da Silva Mello (soldado)

Marco Rogério Cunha (soldado)

Marcelo Luís da Silva (sargento)

Luciano Cassilha (sargento)

Hélio Freires da Silva (soldado)

Sérgio Trus (cabo)

Jair Nonato Ferreira (cabo)

Agostinho (soldado)

  • Assessoria/Editoria Milênio
  • Imagens: Reprodução

Deixe uma Resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Jornal Milênio
Jornal Terceiro Milênio. Inconfundível. Desde 1997 comunicando e transmitindo informações. Umuarama - Paraná - Brasil.