Paraná

Morte do Padre do Balão completou 13 anos

O que era para ser uma aventura e obra de caridade se transformou em tragédia. Em 20 de abril de 2008, um acidente vitimava o Padre Adelir Antônio de Carli. O sacerdote decidiu voar com balões de gás hélio de Paranaguá (Litoral do Paraná) até o Mato Grosso do Sul. No entanto, o que o sacerdote não esperava é que ao invés de atravessar o Paraná sobrevoando apenas com balões, ele foi empurrado para o mar e acabou caindo no litoral de Santa Catarina.
Alguns meses antes do último voo, o Padre De Carli havia feito um voo teste, saindo da cidade de Ampére – PR e pousando cerca de 100 quilômetros depois já em solo argentino. Neste voo ele usou cerca de 500 balões de festa. O sacerdote visava com a façanha arrecadar fundos para a construção de uma casa de passagem para caminhoneiros em Paranaguá.
Do voo no dia 20 de abril restaram apenas os balões de festa que foram encontrados pela marinha e a aeronáutica, boiando no oceano. As buscas pelo padre duraram cerca de dois meses, quando restos mortais que seriam dele foram encontrados no mar já no estado do Rio de Janeiro. A hipotermia foi provável causa da morte.
– Imagens: Reprodução/YouTube/marsemfim
[Editoria  Milênio]
Momento da decolagem do Padre Adelir.

Deixe uma Resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Jornal Milênio
Jornal Terceiro Milênio. Inconfundível. Desde 1997 comunicando e transmitindo informações. Umuarama - Paraná - Brasil.