Região

Ministério Público faz operações com prisões de agente público e empresários em Iporã

A Promotoria Pública de Justiça deflagrou nesta terça-feira, 9 de junho, quatro operações de combate à corrupção em Iporã. Quatro pessoas foram detidas — entre elas o secretário municipal de licitações. O presidente da Câmara e outros dois servidores foram afastados dos cargos.

As operações, executadas com o apoio do GAECO de Cascavel e da Polícia Federal, resultaram no cumprimento de 24 mandados de busca e apreensão, na suspensão de contratos do município de Iporã com empresa investigada, na prisão quatro pessoas – dentre elas o atual secretário de Licitações -, bem como o afastamento do cargo do atual presidente da Câmara Municipal e de outros dois servidores.

Operação Voto Caro

Atendendo a pedido da Promotoria Eleitoral de Iporã, a Justiça Eleitoral expediu 8 mandados de busca e apreensão, cujo cumprimento se deu pela Polícia Federal, visando apurar a prática de crimes eleitorais ocorridos durante o pleito de 2016 (compra de votos). Foram alvos da Operação Vereadores no exercício do mandato.

Operação Rescaldo

Foram executados, com o apoio pelo GAECO de Cascavel, 5 mandados de busca e apreensão em investigação cível que apura a prática de atos de improbidade de vereadores de Iporã, decorrentes de enriquecimento ilícito ante a evolução patrimonial incompatível com o trabalho exercidos pelos investigados.

Operação Intermezzo

A investigação apura a prática dos crimes de falsidade ideológica, organização criminosa e crime contra a lei de licitações, em prejuízo ao município de Iporã. Com o apoio do GAECO de Cascavel, foram cumpridos 5 mandados de busca e apreensão.
A decisão prolatada nessa operação determinou, ainda, a suspensão do exercício da função pública do atual presidente da Câmara de Vereadores e de outros 2 servidores do Legislativo Municipal.

Operação Overbooking

A investigação apura a prática dos crimes de organização criminosa e crime contra a lei de licitações, em prejuízo ao município de Iporã. Apoiado pelo GAECO de Cascavel, foram cumpridos 6 mandados de busca e apreensão.

A decisão prolatada nessa operação determinou, ainda, a prisão do atual Secretário Municipal de Licitações de Iporã e outras três pessoas, bem como a suspensão de contratos do município de Iporã com empresa investigada.

Foi alvo de mandado de busca e apreensão e da proibição de contato com os investigados, ainda, o ex-secretário de Licitações de Iporã, preso na Operação Cleptocracia, deflagrada em outubro de 2019. A Operação Cleptocracia, promovida pelo GAECO de Cascavel e pela Promotoria de Justiça de Iporã, revelou a existência de organização criminosa dedicada à prática de crimes licitatórios, corrupção passiva, falsidade ideológica e peculato no Município, resultando no afastamento do prefeito e da procuradora até então em exercício, na prisão de 5 pessoas, no cumprimento de 40 mandados de busca e apreensão pelo Paraná e na suspensão de contratos de 12 empresas investigadas.

(Assessoria)

 

Foto: Reprodução | Ação do MP/PR na Prefeitura, Câmara Municipal e empresas.

Deixe uma Resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Jornal Milênio
Jornal Terceiro Milênio. Inconfundível. Desde 1997 comunicando e transmitindo informações. Umuarama - Paraná - Brasil.