Esporte

Faleceu o professor universitário Décio Roberto Calegari

O dia é de muita tristeza e luto para colegas de profissão e atletas deficientes que praticam alguma modalidade esportiva no Paraná. Faleceu nesta terça-feira (11) pela manhã, em Vitória (ES), o Professor Doutor Décio Roberto Calegari. Ele estava particpando de um evento naquela cidade, quando sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu. Estava residindo atualmente em Maringá e lecionando na UEM.

Professor Décio Calegari é muito conhecido no Paraná e no Brasil por dedicar-se ao esporte paralímpico. Inclusive, ele foi um dos precursores do handebol em cadeiras de rodas. Também, atuou por algum tempo na função de coordenador do Curso de Educação Física da Unipar – Universidade Paranaense, na no Campus de Toledo.

Nota da Abrhacar

A Abrhacar- Associação Brasileira de Handebol em Cadeiras de Rodas, lamentou a perda repentina de quem o denominou de um dos maiores ícones do esporte paralímpico do Brasil. “Um profissional que deixa um vasto legado no esporte para pessoas com deficiência a nível nacional, internacional e mundial”.

De acordo com a associação, ele foi um dos criadores do Handebol em Cadeira de Rodas, precursor por difundir a modalidade, e tinha o sonho de se tornar paralímpico e estava animado com as possibilidades de abertura no HCR a nivel internacional e também nas mudanças para o crescimento no país, até mesmo na mudança para CBHA – Confederação Brasileira de Handebol Adaptado, nos segmentos físico, auditivo e intelectual.

A vida dos professores de Educação Física é viver no extremo de trabalho, cobranças, metas a serem cumpridas, estresse e glórias. Professor Décio uma pessoa que colaborou muito no meio paralímpico.

Temos a certeza do quanto se dedicava a fazer seu trabalho e esse ano tinha muitas abdicações pois estaria oficialmente dentro do comitê como funcionário e todo orgulhoso me contava dos seus sonhos em levar o esporte paralímpico.

O HCR perde um amigo, um sonhador, um colaborador do esporte para pessoas com deficiência para uma fatalidade mas tenho certeza que vale a reflexão quanto a vida desses profissionais que muitas vezes vivem mais a vida dos outros do que as próprias, pelo bem do crescimento paralímpico.

Prof. Gévelyn Almeida
Balneário Camboriú SC
Presidente ABRHACAR

(Editoria Milênio)

Foto: Reprodução | Professor Décio Calegari atuava com o esporte paralímpico.

Deixe uma Resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Jornal Milênio
Jornal Terceiro Milênio. Inconfundível. Desde 1997 comunicando e transmitindo informações. Umuarama - Paraná - Brasil.