Saúde

Rodízio de plantões de hospitais poderá acabar em Umuarama

O rodízio de plantões de hospitais de Umuarama credenciados pelo SUS (Sistema Único de Saúde) pode estar com os dias contados. E pelo encaminhamento da proposta apresentada, isto deverá ocorrer ainda até o final deste ano. Na lista estão os hospitais Cemil, Nossa Senhora Aparecida, Norospar e Uopeccan.

O assunto voltou à pauta da discussão nesta segunda-feira (2), em uma reunião realizada na 12ª Regional de Saúde de Umuarama. Participaram diretores de hospitais, secretários municipais de saúde, representantes de conselhos de saúde, do Cisa, da Amerios e do Samu Noroeste. Nova reunião será realizada no dia 30 de setembro, quando será apresentado o protocolo de atendimento de pacientes aos hospitais de referência.

Para chefe da 12ª Regional de Saúde, enfermeira Viviane Herrera, a mudança significa um grande avanço e vai fortalecer ainda mais a rede hospitalar de Umuarama. “Esses serviços, que possuem tecnologia de ponta e profissionais altamente qualificados, podem se tornar referência também para outras regionais. Temos hospitais credenciados em alta complexidade nas principais especialidades médicas, como cardiologia, ortopedia, obstetrícia e oncologia, com estrutura para atender com excelência. Com a mudança, cada instituição será fortalecida em sua especialidade”.

O presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde –Cisa-Amerios, presidente da Associação dos Consórcios de Saúde do Paraná – Acispar, Luís Carlos Borges Cardoso, também vê benefícios com a mudança. “Acreditamos isso irá beneficiar a população de toda a região, que depende dos serviços de urgência e emergência dos hospitais de Umuarama, tornando o atendimento mais rápido e eficiente”, destacou Cardoso.

Os protocolos de encaminhamento dos pacientes aos hospitais de referência ainda estão sendo elaborados. “É um trabalho técnico, que está sendo realizado em conjunto pela 12ª Regional, representantes dos hospitais, além de autoridades de saúde de toda a região”, esclareceu a Chefe da Divisão de Atenção e Gestão em Saúde, Camilla Barbosa

O questionado sistema de plantão de urgência e emergência por rodízio nos hospitais deverá acabar em novembro, obedecendo ao disposto em uma lei federal. A proposta defendida entre gestores e profissionais de saúde prevê que todas as unidades hospitalares da cidade permaneçam abertas 24 horas, a partir de novembro. Desta forma, os pacientes teriam opção de escolha no momento de buscar atendimento pelo SUS.

Esse rodízio definido há muito tempo entre a direção dos próprios hospitais foi uma forma de economizar. Uma vez mantendo todas as unidades abertas ao mesmo tempo, haveria estrutura de serviço ociosa. Assim, centralizando o atendimento por período determinado, otimizaria melhor os recursos disponíveis, sem prejuízo aos usuários do sistema público de saúde. Mas o assunto ainda gera polêmica e certa resistência.

(Editoria Milênio)

Foto: Reprodução | Fim do plantão hospitalar em discussão.

 

 

 

Deixe uma Resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.