Justiça

Justiça suspende cobrança de taxa de esgoto em Terra Roxa

A Vara Cível de Terra Roxa (16 mil habitantes), determinou a imediata suspensão da cobrança, pela Sanepar, de taxa de ligação de esgoto aos consumidores do município. A decisão decorre de pedido formulado em ação civil pública ajuizada pela Promotoria de Justiça da comarca.

O Ministério Público do Paraná alegou na ação que a cobrança é indevida, uma vez que a tarifa de esgoto cobrada dos consumidores já deveria cobrir os gastos da empresa com a ligação dos imóveis à rede de coleta. Alega o MPPR na ação que a Sanepar “ao repassar os custos de infraestrutura ao consumidor (cobrar pela disponibilização do ponto de entrega e coleta), transfere indevidamente obrigação que a ela incumbe pelo contrato de concessão a outrem. Com isso, há evidente enriquecimento indevido da empresa concessionária, considerando que os custos que a ela incumbem são transferidos a terceiros, que arcam com os insumos do seu próprio objetivo lucrativo”.

A Justiça acatou os argumentos da Promotoria, declarando a ilegalidade da taxa de adesão – “porque constitui tarifa não prevista no contrato de concessão” e “representa contraprestação por serviço já remunerado pela tarifa de esgoto” – e condenando a empresa a restituir os valores pagos pelos consumidores correspondentes à taxa. Além disso, a empresa está proibida de cobrar pela ligação de imóvel à rede de esgoto.

A mesma medida judicial já havia sido adotada em 2017. Nos últimos três anos, a rede de esgoto aumentou em mais de 55 mil metros lineares, e a meta da empresa era atingir com o serviço 65% da população até o final deste ano.

(Assessoria – Editoria)

Foto: Divulgação | Fórum da Justiça Estadual – Terra Roxa.

Foto: Divulgação | Estação de Tratamento de Esgoto de Terra Roxa.

 

 

Deixe uma Resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.