Policial

Delegado de Matinhos é preso por corrupção

(Assessoria)

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a 2ª Promotoria de Justiça de Ibaiti, no Norte Pioneiro, cumpriram, na manhã desta segunda-feira, 29 de janeiro, mandado de prisão preventiva contra o delegado do município de Matinhos, Max Dias Lemos. O delegado é investigado por corrupção passiva majorada e falsificação de documento público. Ele teria recebido propina de R$ 50 mil para liberar traficantes.

Também foram presos um ex-policial militar, o sogro do prefeito de Ibaiti e o líder da organização criminosa, pelos crimes de tráfico interestadual de drogas, associação para o tráfico e corrupção ativa majorada. A ação faz parte da operação Atrox, que investiga os crimes de tráfico de drogas e corrupção.

Durante a operação, que contou com o apoio da Polícia Militar, foram cumpridos ainda nove mandados de busca e apreensão, na delegacia de Matinhos e em residências localizadas em Ibaiti, Telêmaco Borba, Matinhos e Londrina.

Investigações – A deflagração da operação Atrox resultou de oito meses de investigações, realizadas pela 2ª Promotoria de Justiça de Ibaiti, tendo em vista denúncias de que traficantes haviam sido presos quando transportavam drogas de Ibaiti a Matinhos, em uma caminhonete Chevrolet S-10. Conforme apurado, o delegado teria liberado os traficantes ilegalmente, adulterando as peças do inquérito policial, mediante o recebimento de vantagem indevida.

 

Foto: Divulgação PC/PR | O delegado Max Dias Lemos.
Foto: Divulgação | Delegacia de Polícia Civil de Matinhos.

Deixe uma Resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.