Umuarama

Umuarama sedia ato público em defesa da duplicação da PR-323

(Editoria)

Neste dia 8 de dezembro (sexta-feira), será realizado em Umuarama mais um ato público em defesa da duplicação da Rodovia PR-323. O evento denominado ‘Grito pela Vida – União pelo Desenvolvimento’ acontecerá no Teatro da Unipar, com início previsto para as 9 horas. Autoridades políticas (prefeitos, vereadores, deputados), religiosas, empresariais, sindicalistas e representantes de entidades de classe estão convidadas. O bispo Diocesano de Umuarama, Dom João Mamede Filho e o Arcebispo de Maringá, Dom Anual Batisti, estarão presentes.

O manifesto é organizado pela Comissão Pró Duplicação, que exige uma solução definitiva para a rodovia mais movimentada do Noroeste do Estado. Nesse evento será elaborado a ‘Carta do Noroeste’ relatando os problemas dessa via e exigindo providências do Governo, que tem declarado publicamente que ‘essa é uma obra inadiável’. Conforme o presidente da comissão, Sérgio Frederico, a proposta é manter a reivindicação fortalecida, com maior integração de todas as lideranças dos municípios interessados na execução desse projeto.

André Vinícius Melatti, procurador do Ministério Público do Trabalho em Umuarama, também se integrou à luta em defesa da duplicação da rodovia. Essa autoridade informou que instaurou procedimento promocional e caso seja necessário entrará na Justiça com Ação Civil Pública para exigir a obra e responsabilização do gestor, pelas ocorrências fatais registradas nessa rodovia. Melatti observa que toda semana se houve falar acidentes, mortes. “Essa rodovia é a que mais mata no Paraná e carece de providências”, observou. Para o procurador, dos candidatos ao Governo deve ser cobrado compromisso e apresentação de um plano completo de execução dessa obra.  “Nós, dessa região, somos os mais interessados e temos que nos mobilizar mais nesse sentido”, acentuou.

Reuniões com o mesmo tema foram realizadas recentemente em Cianorte e Maringá – cidades também ligadas diretamente a PR-323. O arcebispo Dom Anuar Batisti observou que a pista que deveria ser duplicada “está apenas recebendo remendos e adiando a obra projetada”. De acordo com estatísticas da Polícia Rodoviária Estadual, no ano 2016 foram registradas 110 mortes nessa rodovia, num trecho de 220 quilômetros. Nos últimos 10 anos, 400 pessoas perderam a vida em acidentes, além de dezenas de feridos e mutilados.

Na mobilização em Umuarama serão apresentados números e as reais condições da pista ultrapassada para o atual fluxo de tráfego. Segundo analistas, a via está prejudicando o processo de desenvolvimento socioeconômico da região. No âmbito do Governo, é aguardada uma posição de órgãos de fiscalização sobre autorização para aquisição do projeto de duplicação elaborado pelo Consórcio Rota-323, que foi afastado das obras. Se depender de novo projeto, o atraso será ainda maior, acreditam os técnicos.

Foto: Jorge Woll | Obras de recuperação da PR-323, no trecho entre Cianorte e Paiçandu, realizadas há um ano.

 

Deixe uma Resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.