Universitário

Estudantes da Unipar fundam Liga Acadêmica de Cirurgia Geral

Com propostas extracurriculares, as ligas acadêmicas começam a ganhar notoriedade em Umuarama. A primeira que surge oficialmente, junto à Universidade Paranaense, é a Liga Acadêmica de Cirurgia Geral de Medicina, criada pelos estudantes.

A posse dos diretores aconteceu em cerimônia prestigiada por professor e colegas. Representantes da Associação Médica de Umuarama, da Secretaria Municipal de Saúde e dos hospitais parceiros [Cemil, Norospar, Nossa Senhora Aparecida e Uopeccan] também marcaram presença, assim como médicos e outros profissionais da área da saúde. Assumiram os cargos os estudantes Rafael Leonardi Janeiro, presidente; Antônio Henrique Ruzzon Martins, vice-presidente; Thayne Zimermann Durigon, secretária geral; Beatriz Corrêa Cernkovic, tesoureira; Luísa Batista Dornelles, diretora científica; Camila Moreno Giarola, diretora de eventos e patrocínio; e Milena de Souza Melo, diretora de comunicação e marketing.

A Liga tem como objetivo promover eventos para a ampliação dos conhecimentos além das salas de aulas e dos laboratórios e outros que complementam a formação do aluno, além de apoiar a pesquisa científica e beneficiar a sociedade com trabalho de extensão universitária. Palestras, seminários, painéis e workshops estão nos planos da diretoria. Outro objetivo importante é unir ideias e ideais as duas turmas de Medicina da Unipar, que congregam cerca de 170 alunos, na busca constante por melhor formação acadêmica.

A associação conta com 11 módulos ligados a especialidades médicas. Em seu discurso, o presidente enalteceu a importância desta união. “Desde o início das aulas, nossos mestres, referências em nossas vidas, tanto humana quanto acadêmica, despertaram em nós o desafio de superação, desafio de estudo e muito trabalho, desafio de realizar e sermos, também, referências para os que nos seguirão”, sentenciou. Também explicou como surgiu a Liga: “Desde a ideia inicial até a posse que hoje realizamos, muitas reuniões, estudos, discussões, busca de informações foram necessários. Todos os nossos mestres, acadêmicos e colaboradores da Unipar auxiliaram nessa caminhada e esse apoio foi fundamental, assim como o apoio dos hospitais, que traduzimos como o respaldo necessário para concretizarmos este sonho”. A coordenadora do curso, professora Maria Elena Diegues, afirma que a Liga proporcionará muitas oportunidades para os estudantes: “Eles irão aprender muito além do que a disciplina de cirurgia oferece; é um benefício imenso na formação acadêmica”. A diretora do Instituto de Ciências Biológicas, Médicas e da Saúde, professora Irineia Baretta, concorda: “A Liga se propõe a despertar o interesse dos acadêmicos para assuntos que vão além do currículo, permitindo que eles, professores e profissionais trabalhem juntos e, nessa interação, estudem mais, gerando resultados científicos e sociais”.

Como se associar

Para ingresso na Liga é necessário que o acadêmico faça um seguro de vida para sua proteção, participe de aula inaugural sobre procedimentos em ambiente hospitalar e cirúrgico e, também, assista a uma aula sobre ética e confidencialidade. Os módulos alistados são: cirurgia cardíaca, gástrica, neurológica, obstétrica e ginecológica, oncológica, ortopédica, otorrinolaringológica, plástica, urológica e vascular e radiologia.

(Assessoria)

 

 

foto: Milênio | Maria Elena Diegues, e o presidente da Liga, Rafael Janeiro.

 

Foto: Milênio | Professora Irinéia Baretta, diretora da Unipar.

Deixe uma Resposta