Eventos

Marcos Vaz: Cidadão Honorário de Umuarama

Marcos Roberto Vaz, cartunista, artista e empreendedor cultural recebeu oficialmente na noite de 12 de dezembro o título de Cidadão Honorário de Umuarama. O projeto que outorgou a honraria é de 1995, proposto pelo então vereador Mauro Spina. Marcos só foi titulado agora, pois a data do recebimento da honraria quem decide é o homenageado.

Na Sessão Solene realizada no Plenário da Câmara Municipal, a presença de familiares e amigos do homenageado. Mauro Spina não pode comparecer para entregar a honraria ao amigo, e foi representado pelo ex-vereador Arnaldo Rodrigues da Silva. Aparício Caldearo Junior (secretário Municipal de Defesa do Consumidor) representou o prefeito Celso Pozzobom. Foi um momento de reconhecimento e muita emoção.

Arnaldo Rodrigues da Silva se pronunciou em nome de Mauro Spina. Ele ressaltou a gratidão de Umuarama para com mais esse filho ilustre. “Não me considero o autor, mas, um simples mensageiro do anseio de vários umuaramenses, principalmente ligados a educação e a cultura, de forma que o que fizemos foi referendar o carinho de nosso povo por você, Marcos Vaz”.


Após ser titulado, Marcos Vaz expressou sua gratidão pelo momento, que, de acordo com ele, foi no tempo de Deus, numa alusão a lacuna de 23 anos desde a sanção da Lei que tornou oficial a honraria, até o recebimento material da mesma. Vaz também reforçou que mais do que nunca o Umuaraminha esteve tão atual, levando em conta o momento delicado que os índios presentes no território nacional atravessam por conta de demarcações de terras. O Umuaraminha foi o primeiro personagem criado pelo cartunista, sendo o mesmo inspirado nos índios Xetá, que habitavam a região de Umuarama antes do processo de colonização.

“É uma honra para mim receber esta homenagem, neste momento de tempos novos em que a sociedade e a política passam por transformações. Agora, a responsabilidade não é mais só do poder público, ela é de todos nós. E, poder publico está sentindo isso também, porque as pessoas estão cobrando mais. Cada um de nós, participando, vamos fazer a mudança, que, na verdade, começa dentro de cada um”, pontuou.

O cartunista Marcos Vaz construiu uma sólida carreira como artista das revistas em quadrinhos, tendo publicado mais de uma centena de gibis e jornais ilustrados, que contribuíram de forma substancial com a arte e educação de crianças por todo Brasil. Suas publicações somadas tiveram tiragem superior a 20 milhões de exemplares. O personagem Umuaraminha tornou-se uma referência cultural em Umuarama, ao remeter à lembrança dos índios Xetá, que habitaram a região no passado e constituíram uma tribo indígena  que despertou o interesse de pesquisadores de todo o mundo, pois viviam em moldes de seis mil anos e, apesar do esforço internacional para preservá-los, através da criação da Reserva Indígena Xetá, não resistiram ao contato com o homem branco e foram extintos. O Umuaraminha, embora tardiamente, é um tributo à nação Xetá e marca época para um povo sem tempo.

Personagens

Marcos Vaz é graduado em Letras, Marketing e especialista em Empreendedorismo Social. É fundador e presidente do Instituto Brasilzinho Educar para Transformar, em Curitiba. Criador do personagem Brasilzinho, idealizado em homenagem ao Brasil em 1997 e lançado oficialmente no Rio de Janeiro, durante as comemorações alusivas aos 500 anos do descobrimento.

Em 1986 criou a Turma do Brilhante, que contava com um personagem bem diferente, o índio Umuaraminha, desenvolvido pelo cartunista como homenagem à sua cidade. Dois anos depois desenvolveu um projeto, com a ajuda de sua professora de português, Judith Barbisan, que tinha por objetivo fazer dele o mascote da cidade.

Em 1990, o Projeto Umuaraminha encontrou eco na sociedade umuaramense e por iniciativa dos vereadores, que escreviam a Lei Orgânica Municipal, o personagem foi incluído na carta magna como símbolo oficial da cidade, ao lado da bandeira, do brasão e do hino municipal. Umuarama foi a primeira cidade brasileira a transformar um personagem de histórias em quadrinhos em símbolo oficial, fato que foi destaque na revista VEJA.

Marcos também autor da Cartilha da Justiça em quadrinhos, em 1992, com 02 milhões de exemplares, vencendo seletiva concorrida por nomes como Mauricio de Sousa e Ziraldo. Outra criação foi Curitibinha, lançado em homenagem aos 300 anos da Capital Paranaense no ano de 1993. Em 95, o Curitibinha desfilou na Escola de Samba Unidos da Ponte, do grupo principal do carnaval do Rio de Janeiro, em homenagem ao estado do Paraná.

Nesta trajetória, surgem os personagens Paranazinho e Brasilzinho, em 1997, criados para um gibi AMAPAR – Associação dos Magistrados do Paraná. Neste mesmo ano Marcos Vaz funda a MARV PRODUÇÕES LTDA, empresa do artista que passa a agenciar o seu trabalho. No ano posterior, em 98, foi congratulado com o Prêmio Árvore do Sucesso e, com o Prêmio Personalidade Empreendedora do Paraná, em 1999, seguido do Prêmio Medalla a La Integración Símon Bolívar. Um ano mais tarde, em 2001, o Juizado da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça do Paraná lança a revista Brasilzinho Estatuto da Criança e do Adolescente. O personagem teve uma série de outras atribuições, estampando quadrinhos, foi tema de portal na área educacional, além de ganhar sua própria cartilha em quadrinhos, voltada à divulgação dos direitos do trabalhador, no ano de 2004.

O ano 2011 marcou a atuação internacional do cartunista, que lança na Europa a Cartilha do Direito Internacional do Trabalho para a ANAMATRA. Publicada em parceria com a OIT – Organização Internacional do Trabalho, a revista ganha versões em português, inglês, francês e espanhol. Marcos Vaz percorre vários países divulgado o lançamento, que ocorreu em Genebra, Suiça, durante a 100ª Conferência Mundial do Trabalho, realizada na sede da ONU na Europa.

Outra performance internacional se deu 2012, momento em que lançou no Japão o Gibi bilíngue do Brasilzinho (português e japonês).

O Personagem Curitibinha ganha um novo capítulo em sua história no ano de 2013, através da coletânea: Cidade Sorriso dos Mortos Vivos. As revistas institucionais de Marcos Vaz chegam a 23 dos 27 estados brasileiros. Surgem os personagem que representam todos os estados brasileiros e que passam a compor a galera do Brasilzinho.

Dois mil e quatorze fica marcado pelo lançamento do Almanaque do Umuaraminha, em quadrinhos, que chega a todos os alunos das escolas públicas e particulares de Umuarama. É lançado ainda o gibi Brasilzinho Astronomia, por ocasião da realização da 1ª Jornada de Ensino de Astronomia.

Em 2015 ocorre o lançamento do calendário Umuaraminha 2015, das revistas Umuaraminha Diga NÃO ao Trabalho Infantil e Umuaraminha  Combate ao Abuso Sexual Infantojuvenil, através do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, a revista Umuaraminha Nota Fiscal Amiga e Umuaraminha; Todos Juntos pelo Meio Ambiente. A AMB lança também a nova versão da Cartilha da Justiça em Quadrinhos, totalmente reformulada e distribuída em todo Brasil. São lançadas ainda as revista Brasilzinho Combate À Dengue e Brasilzinho Lugar de Criança é na Escola, todas em formato de histórias em quadrinhos.

No ano de 2016 Marcos Vaz resgata o Jornal do Umuaraminha, que passa a ser publicado bimestralmente, dentro do ano letivo. Em 2017 acontece à volta do Curitibinha às salas de aula dos alunos da Rede Municipal de Ensino da Capital Paranaense. Em 2018 o personagem comemorou 25 anos com o lançamento do álbum e da exposição comemorativa que celebra seu Jubileu de Prata. A abertura foi realizada na Gibiteca de Curitiba, no dia 20 de novembro, e a exposição pode ser visitada até 22 de fevereiro de 2019.

Fotos: Divulgação | Presidente da Câmara Maria Ornelas entrega o título a Marcos Vaz.

 

Ana Novais e Maria Ornelas, com Marcos Vaz, Arnaldo Rodrigues e Aparício Calderaro.

Marcos Vaz, em seu discurso de agradecimento.

Arnaldo Rodrigues falou em nome do autor Mauro Spina.

Convidados lotaram o plenário para prestigiarem o homenageado.

 

Marcos Vaz e sua família.

 

 

Arnaldo Rodrigues e esposa Neuza, Marcos Vaz e Maria Ornelas.

Deixe uma Resposta