Policial

Chacina de Guaíra completou 10 anos

A maior chacina registrada no Paraná completou 10 anos neste sábado (22). Em Guaíra (110 km de Umuarama), 15 pessoas foram baleadas com uso de arma de grosso calibre. Entre as vítimas, somente uma mulher, filha de um homem conhecido como Polaco, dono da chácara Santa Clara onde aconteceu a matança. Ele e mais um filho também morreram.

Sete pessoas assassinadas estavam descansando em um paiol. Algumas delas morreram sentadas, sem reação ao ataque surpresa. As outras ocupavam cômodos de uma casa, e espaços no quintal. Até um papagaio morreu baleado e caiu em uma caixa de ferramentas. Suspeita-se que os bandidos temiam que a ave delatasse alguma coisa à polícia. Mas também houve sobreviventes que conseguiram fugir em meio ao tiroteio na área. Um jovem de 18 anos que visitava o local acompanhado de um bebê foi feito refém, e teve a vida poupada pelos marginais.

Testemunhas relataram que os atiradores chegaram à chácara por volta das 13 horas. Conforme informações, pelo menos 20 pessoas estavam no local naquele momento, próximo ao Lago de Itaipu (fronteira com o Paraguai). Foram atirando em todos, sem apelação. Os corpos ficaram espalhados pelo chão, no quintal, e outros no interior da casa. Alguns, desfigurados pelo impacto dos projéteis.

Depois do velório em vários pontos da cidade, alguns corpos foram enterrados em covas comuns no Cemitério Municipal. Foi um dia de terror e comoção em Guaíra, uma das cidades turísticas da região Oeste do Paraná, com 33 mil habitantes.

A Polícia suspeitou que a ação marginal foi um acerto de contas entre contrabandistas da região e traficantes de drogas. No local foi encontrado um saco cheio com uma substância análoga à maconha. Os mortos inocentes teriam sido ‘queira de arquivo’. Algumas pessoas foram presas dias depois, outras se esconderam no Paraguai. Mas a violência nunca foi esquecida pelos moradores do lugar, assim como a queda da ponte pênsil, na década de 80.

Foto: Divulgação | Corpos das vítimas da chacina.
Foto: Divulgação | Arma quebrada deixada no local.

Foto: Divulgação | Local da chacina.
Foto: Divulgação | Até o papagaio foi vítima da ação.
Foto: Divulgação | Policiais militares no local da chacina.

Foto: Divulgação | Sepultamentos de vítimas da chacina.

Deixe uma Resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.