Justiça

Professoras que torturavam crianças pegam 20 anos de reclusão

Em Rondon, duas educadoras denunciadas pelo Ministério Público do Paraná foram condenadas pela Justiça a 20 anos de reclusão por prática de tortura contra crianças. A sentença fixou que o início da pena seja cumprido em regime fechado. A ação penal foi apresentada em novembro do ano passado pela Promotoria de Justiça de Cidade Gaúcha, responsável pela comarca.

Conforme relata o Ministério Público na denúncia, as duas educadoras, que estavam em estágio probatório no Centro Municipal de Educação Infantil Menino Deus, submeteram diversas crianças a intenso sofrimento físico e psicológico como forma de aplicação de castigos, agredindo-as física e psicologicamente, com empurrões, puxões de cabelo e de orelha, apertões e outras condutas semelhantes. As agressões foram filmadas e a suspeita inicial era que elas teriam agredido pelo menos 20 crianças com indade entrter 2 e 3 anos.

Já à época da denúncia as mulheres foram afastadas do cargo pela Prefeitura Municipal de Rondon. A sentença criminal também decretou a perda dos cargos públicos das duas educadoras e a proibição de exercerem cargos públicos durante 40 anos. Durante todo o processo elas negaram envolvimento, mas os fatos foram comprovados por imagens. A decisão está sujeita a recurso.

As duas sentenciadas podem aguardar tramitação de eventual recurso ao Tribunal de Justiça do Paraná nas mesmas condições em que se encontrram, ou seja, em prisão domiciliar, monitoradas por tornozeleiras eletrônicas.

(Assessoria – MPPR).

Foto: Creche Menino Jesus – ilustrativa de local.

 

 

Creche Rondon

Foto: Divulgação | A sentença foi proferida pelo juízo da Comarca de Cidade Gaúcha.

 

 

 

Deixe uma Resposta